Polícia Civil de São Pedro da Aldeia prende homem foragido da justiça

Em uma ação coordenada, policiais da 125ª Delegacia de Polícia (125ª DP), da Agência de Inteligência da 25ª BPM (AIB/25ª BPM Ala D), da...
HomeGeral‘Defensor da família’, ex-prefeito bolsonarista é preso acusado de matar a esposa

‘Defensor da família’, ex-prefeito bolsonarista é preso acusado de matar a esposa

Fuvio Luziano Serafim (PL-MG), de 44 anos, é ex-prefeito de Catuji (2012-2020), em Minas Gerais, e conhecido na região como um ferrenho apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Nas redes sociais costumava fazer postagens defendendo o que considera como “valores da família”. Acontece que nesse domingo (3) ele foi preso e acusado pela Polícia Civil do Espírito Santo de ter matado a própria esposa, a médica Juliana Pimenta Ruas El-Aouar, de 39 anos.

O casal estava em viagem ao município de Colatina, às margens do Rio Doce no Espírito Santo, quando a mulher foi encontrada morta no quarto do hotel em que estavam hospedados. O motorista do casal, Robson Gonçalves dos Santos, de 52 anos, é acusado pela polícia de ter auxiliado Fuvio no homicídio e estava hospedado em um quarto ao lado.

O Serviço Médico Legal (SML) local afirma na declaração de óbito de Juliana que a médica que as causas da sua morte foram traumatismo cranioencefálico, broncoaspiração (entrada de substâncias ao corpo nas vias respiratórias), asfixia mecânica e hipoxemia (quando há pouco oxigênio no sangue). Em outras palavras, são grandes as chances de que a vítima tenha recebido pancadas na cabeça que afetaram seu crânio e cérebro e foi enforcada.

Chegando ao hotel, a Polícia Militar conversou com o gerente. De acordo com seu relato, outros hóspedes reclamaram de barulhos vindos do quarto de Fuvio durante a madrugada de sexta (1) para sábado (2). Na manhã seguinte, o ex-prefeito apareceu inquieto na recepção, pedindo para fechar a conta pois a esposa tinha passado mal e desmaiado.

Nesse momento, uma ambulância foi chamada e constatou a morte da médica ao chegar ao hotel e examiná-la. À polícia, Fuvio afirmou que a esposa teria passado por uma cirurgia na sexta-feira e, logo em seguida, foram jantar em uma churrascaria. Após a janta, voltaram para hotel, onde dormiram. Ele alega que ao acordar encontrou a mulher desmaiada.

Por sua vez, o motorista afirmou à polícia que foi chamado ao quarto do patrão para ajudá-lo uma vez que a esposa teria escorregado no banheiro e batido a cabeça.

O bolsonarista foi preso e autuado em flagrante. Ele responderá por homicídio qualificado por motivo torpe. Além disso, pode ter de encarar o agravante de não ter permitido à vítima defender-se. O motorista também foi preso e irá se defender das mesmas acusações.