Vasco vence o Flamengo em clássico emocionante no Maracanã

0
1

Se havia alguma dúvida do quanto esse Vasco que está sendo construído em 2023 tem a capacidade de ser honesto e fazer jus à história do cruz-maltino, ela acabou depois do Clássico dos Milhões deste domingo. A vitória sobre o Flamengo não significa que o time da Colina será campeão de algo na temporada. Nem mesmo do Carioca, onde Fluminense e Flamengo são favoritos ao título. Mas permite ao torcedor finalmente olhar nos olhos dos torcedores adversários. Não há mais motivos para ter vergonha.

Foi apenas a segunda vitória vascaína nos últimos 22 clássicos contra o Flamengo, o que reforça a carga simbólica do resultado para os vascaínos. No ano do centenário, a rivalidade histórica ganha um novo fôlego.

Em termos práticos, o triunfo do cruz-maltino manteve o time no terceiro lugar da Taça Guanabara, a uma rodada do fim. Se vencer o Bangu em São Januário, garante a vaga na semifinal do Carioca e na Copa do Brasil do ano que vem. O rubro-negro, líder, já está matematicamente garantido na fase decisiva.

Emoção do início ao fim
A partida foi equilibrada. O Flamengo teve mais a bola e criou boas chances para balançar as redes, antes e depois de Pumita marcar o golaço que definiu o placar de 1 a 0 para os vascaínos. Mas teve dificuldades para furar a última linha defensiva do time de Maurício Barbieri e ficou carente de um pouco de sorte.

Mas não se trata de uma vitória injusta do Vasco, muito pelo contrário. O time da Colina entrou em campo com uma proposta clara de jogo e conseguiu executá-la muito bem. Recuou muito mais do que está acostumado nesta temporada, à espera dos contra-ataques. Conseguiu encontrá-los. Acertou duas bolas na trave no primeiro tempo.

Até que no segundo, a bola sobrou para Pumita, que fazia partida ruim. Provavelmente a pior desde que foi contratado pelo Vasco. O lateral-direito uruguaio bateu de primeira e fez um golaço para fazer explodir o lado vascaíno das arquibancadas.

A vitória foi tão justa que o Vasco ainda teve a chance clara de ampliar a vantagem, depois que Marlon Gomes, que entrou no segundo tempo, sofreu pênalti. Pedro Raul teve a bola que poderia ser do jogo, mas Santos fez a defesa. Fica o porém na atuação do centroavante vascaíno, um dos melhores em campo até então.

A partir daí, o jogo foi de pura trocação. O Flamengo apertando o Vasco na defesa, obrigando Léo Jardim a fazer grandes defesas, e o cruz-maltino conseguindo bons contra-ataques, mas sempre pecando no último passe ou na finalização.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here